Buscar
  • Comunicação

Juventude camponesa organizada, lutando, resistindo e produzindo

A Pastoral da Juventude Rural – PJR realizou entre os dias 18 a 23 de Janeiro de 2017, no Centro de Formação Nacional Paulo Freire no Assentamento Normandia em Caruaru/PE. O II Intercâmbio e Feira Nacional de Sabores e Saberes da Juventude Camponesa, onde estiverem presentes jovens de diversos recantos do Brasil militantes da PJR, somando uma quantidade de 350 jovens do Campo e da Cidade.

Tendo em vista os objetivos de fortalecer a Juventude Camponesa, para que a mesma possa permanecer e viver no campo, é que a PJR promove mais um Intercâmbio e Feira Nacional, para os jovens socializarem suas experiências a partir dos Grupos de Produção e Resistência – GPR’s, como também intercambiar experiências inovadoras protagonizadas pela militância da PJR em seus Estados.

Sendo que é imprescindível uma compreensão melhor do cenário político e da realidade agrária brasileira, motivos pelo qual leva ao jovem camponês ou a jovem camponesa a sair do campo, a questão do acesso a terra, foi realizada uma Análise de Conjuntura Política/Agrária com João Pedro Stédile da direção Nacional do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST. Momento criado para refletirmos a situação do país e dos desafios a qual a juventude e classe trabalhadora estão expostos. Stédile ainda ressalta que “a direita encontra-se desfragmentada, enquanto a unicidade da esquerda se fortalece”.

Sendo os Grupos de Produção e Resistência – GPRs, uma política desenvolvida pela PJR e também umas das três formas de organização dos grupos de base da mesma, é essencial que criamos espaços de socialização como também de avaliação dos mesmos. Para mediar e aprofundar a conversa sobre os GPR’s contamos com a presença de Sandreildo Santos, técnico agropecuário e acompanhante de alguns grupos no interior pernambucano, que relatou as experiências vividas nos grupos, como também salientou a importância da juventude se organizar nesses núcleos de produção, tanto para permanecerem no campo e como terem uma autonomia financeira. Assim a PJR aposta nessa forma de organização, como uma forma dos jovens conseguirem angariar recursos e como uma forma estratégica de organização da juventude campo.

Sendo que é nas bases que toda a formação é realizada, foi aberto um momento de socialização das experiências juvenis nos GPR’s, e dos desafios enfrentados para disseminação e fortalecimento dessas práticas. Assim todos os jovens dividiram-se em suas caravanas para avaliar os GPR’s em seus Estados, como também apontar os desafios para a constituição dos grupos, respeitando a singularidade de cada realidade.

Dando continuidade as atividades do dia foi realizada também a Feira Nacional de Saberes e Sabores da Juventude Camponesa, espaço criado para os jovens dos GPR’s exporem e comercializarem seus produtos, produzidos agro ecologicamente. Para diversificar o dia foram ofertadas várias oficinas como: Culinária, Cordel, Audiovisual, Dança, Batucada, Stencil e Teatro, onde os jovens presentes puderam participar do que mais lhes tocavam, assim os jovens puderam viver a experiência na prática, a partir das oficinas, como também aprender algo novo.

Para falar um pouco e explicitar como a juventude camponesa pode contribuir no fortalecimento da Frente Brasil Popular, contamos com uma mesa composta por Jaime Amorim, Coordenação Estadual do MST Pernambuco, sendo que é analisando que compreendemos e percebemos as várias formas de invisibilização da juventude, em especial a do Campo, é que criamos espaços como este para mostrar o quanto a juventude pode contribuir na organicidade da sociedade. Assim Amorim pontua e aborda aspectos políticos da atual conjuntura, enfatiza a ditadura de toga na qual o poder judiciário detém total supremacia. Ele ainda fala e abre alas em sua palestra para os perigos do avanço do agronegócio, e dos problemas enfrentados para combater o mesmo no atual sistema Mundial.

Também para fortalecer o debate sobre práticas Agroecológicas contamos com a presença de Alexandre Pires do Centro Sabiá do Pernambuco, que pontua que o importante é “ressaltar a agroecologia como estratégia de luta contra ao agronegócio, e pode ser entendida como modo de vida”. Ele ainda diz que a construção da unidade trabalhadora e o trabalho de base, da ênfase e se ponta a elucidar o real significado e importância da agroecologia.

Finalizamos as atividades do II Intercâmbio e Feira Nacional de Saberes e Sabores da Juventude Camponesa com muita alegria e com a esperança que a juventude campo possa se organizar cada vez mais, nos grupo de base da PJR, e assim construirmos um projeto Popular para o Brasil, baseados nos princípios cristãos e da agroecologia, para que possamos ter uma natureza mais sadia e próspera para todos e todas.

Debate sobre os GPR’s, com Sandreildo Santos


Análise de Conjuntura Política/Agrária, com João Pedro Stédile do MST


Feira da Juventude Camponesa


Feira da Juventude Camponesa


Feira da Juventude Camponesa


Palestra sobre Agroecológia, com Alexandre Pires do Centro Sabiá


Confira mais fotos na FanPage do Facebook: Click Aqui

Imagens: Arquivos da Equipe de Comunicação Nacional

Postado por: Comunicação Nacional da PJR

0 visualização

Secretaria Nacional

Rua Francisco Brás, Várzea Rendonda, 204, Sumé, Paraíba - Brasil.

Email: secretariapjrbrasil@gmail.com

Telefone83 99917-2719

Youtube

Facebook

© 2020 Todos os direitos reservados à Pastoral da Juventude Rural  |   Termos e usos  |   Política de privacidade